O Carnaval acabou

Imagem retirada do site www.nuaideia.com

O Carnaval acabou.

Queria tirar a máscara

E voltar a dar a cara…

Voltar a ser quem sou.


Entre o verdadeiro eu

E aquele que pareço

(entre o genuíno e o adereço)

A distinção esvaneceu.


Entre as ficções que criei

E a que é minha história

Não há fronteira notória.

Por vezes já nem eu sei.


Nesta linha indefinida

Entre máscara amovível

Ou plástica irreversível,

Anda, assim, a minha vida.

Mais um poema que escrevi há muito…

Apesar de muito simples poderá ter diferentes leituras para diferentes leitores.

Espero que gostes.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

ou ir para o início.

Anúncios