A tua luz

Olho

A tua luz

Se de longe te olho emites luz
Contrariando as leis da natureza
Aproximo-me e tenho a certeza
Há algo nos teus olhos que reluz

Um brilho que extravasa e que seduz
Lâmpada cintilante sempre acesa
E eu sou a borboleta indefesa
Ignorando o perigo a que me expus

Aceito que essa é a minha sina
Sabendo que essa luz desassossega
Confio que ela apenas me ilumina

Se luz em demasia também cega
Fecho os olhos preenches-me a retina
E abro-me ao amor que não se nega.

Este soneto foi classificado em terceiro lugar no III Concurso de Poesia Serra Serata, em Petrópolis, Brasil.

O tema obrigatório era “Luz” e a forma o soneto clássico.

Depois de no ano passado me terem atribuído o segundo lugar no II Festival de Haicai de Petrópolis, agora tive nova alegria de ver a minha poesia distinguida… e de novo com a companhia nos trabalhos premiados de Edweine Loureiro, um brasileiro com raízes portuguesas e que vive no Japão.

Nota: Encontrei a foto na net, mas não consegui perceber a sua verdadeira origem.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

haik  Parada de Ester 4  Receitada pelo médico    Prémio Literário Hernâni Cidade  Casa de Espanha

ou ir para o início.

Mais um poema selecionado para publicação

Mais um poema meu – Folha em branco – vai ser publicado em livro pela Casa de Espanha – Núcleo Artístico-Cultural Federico Garcia Lorca, no Rio de Janeiro – Brasil.

Casa de Espanha

Concorri ao I Concurso Internacional de Poesia e recebi a informação de que sou um dos cinco finalistas na categoria internacional – quatro portugueses e um brasileiro a residir no Japão. Essa categoria nem existia, mas a organização criou-a como resposta à grande quantidade de inscrições do exterior do Brasil (e que, juntamente com os brasileiros residentes, concorriam na categoria geral).

Os concursos literários são uma forma de ir divulgando a minha poesia. Os únicos em que participo são aqueles em que essa participação é facilitada, com a possibilidade de envio por e-mail. Nesse caso não há problemas com a distância.

O único senão dessa distância é que não poderei estar presente, com muita pena minha, no evento, do dia 14 de Dezembro, em que serão declamados os poemas finalistas e anunciados os vencedores. Espero que esse evento seja um sucesso.

Nessa altura divulgarei também aqui o meu poema – mais um soneto – intitulado Folha em branco.

 

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

Receitada pelo médico    Parada de Ester 4  haik  Prémio Literário Hernâni Cidade  O riocorria calmo

ou ir para o início.