Testamento Poético em linguagem prosaica

.

Estando em estado de lucidez e de perfeito juízo

Ainda na posse de todas as minhas faculdades

E porque a ninguém pretendo causar prejuízo

Neste documento declaro as minhas vontades

A poesia será partilhada como um todo indiviso

Será sempre uma garantia e espaço de liberdades

Se alguém a quiser vender, o preço é um sorriso

Aceitem-na, para combater tiranias e falsidades

Porque na poesia o amor é cada vez mais preciso

Perderá a sua parte quem a usar para maldades

E será excluído deste testamento tão conciso

Quem usar esta herança para criar desigualdades

Capa da colectânea… edição da Câmara Municipal de Ovar

Concorri com este poema, escrito em 2006, ao concurso «Dar voz à poesia» desse ano. Foi seleccionado para publicação e recebi o livro há poucos meses.

Foi a única edição a que concorri, incentivado pelo meu amigo Hélder Ramos, autor com obra poética publicada (livro «Ao pé das palavras» que tive o prazer de prefaciar) e que nesta IV colectânea tem quatro belos poemas.

Apesar deste meu poema não ter sido escrito para crianças, não me pareceu despropositado colocá-lo neste blogue.

Espero que tu, amigo leitor, aceites o meu legado e possas tu também «Dar voz à poesia».

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

ou ir para o início.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: