Pelo meu aniversário…

bolo

Destes-me os parabéns e eu agradeço,
Mas que fiz de importante neste dia?
Mais um aniversário? (Em demasia…)
É algo que eu sei que não mereço.

Não sou daqueles que “faço e aconteço”
Acreditem, por mim, já desfazia
E, em vez de somar, retrocedia…
Preferia voltar para o começo.

Depois quando chegasse aos vinte e seis
Poderia parar por essa idade…
(No velório teria um ar jovem)

Destes-me os parabéns… bem o sabeis, 
Só posso agradecer vossa amizade…
Que os votos, muitos anos, se renovem.

Hoje é o meu aniversário. Escrevi este poema e publiquei-o nas redes sociais para agradecer aos muitos amigos que me deram os parabéns. Resolvi publicá-lo também aqui, onde o tempo parece passar um pouco mais devagar.

 
 
Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

  Apelo aos amigos    Uma história… a feijões ou um fundo de verdade num inverosímil conto de fadas  MV

ou ir para o início.