Finalmente o sol

O facebook lembrou-me desta história escrita há três anos para um grupo de que fazia parte na altura. Havia uma condição que nem sempre era fácil de cumprir: os textos tinham que ter exatamente cem palavras (Drabbles).
Achei que ficava bem no blogue, onde já estão outras dentro da mesma lógica.

Para ler bem o texto, clica na imagem para a ampliar.

Finalmente o sol

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

Egas Moniz mar2 O riocorria calmo Olho 3.png Uma história… a feijões ou um fundo de verdade num inverosímil conto de fadas lugares-e-palavras-de-natal-2

ou ir para o início.

 

Anúncios

Que bela…

Névoa 2

Que bela…

Contemplo a paisagem da janela

A névoa da manhã, ar de mistério,

Torna a serra fantástica e pincela

Os cumes de branco com critério.

Beber esta paisagem, tão singela

Assim pela manhã, é refrigério.

Lava-me até a alma e apela

Ao que há de mais nobre e de mais sério…

Se as pessoas nas ruas da cidade,

Que passam na calçada, cabisbaixas,

Pudessem beber esta claridade

Banhar-se nesta paz, que não se olvida

Não seriam tão tristes nem tão baixas…

Diriam como eu: que bela é a vida!

 

Parada de Ester, 26 de agosto de 2014

 

Este poema foi inspirado pela paisagem que pude ver ao acordar…
O tema  (Que belo) já andava na cabeça depois de um desafio lançado a partir do Brasil (Petrópolis).

A foto dá para ter uma ideia, mas era ainda bem mais bonito ao natural.

 

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

haik    MV

Apelo aos amigos  Prémio Literário Hernâni Cidade  O riocorria calmo

ou ir para o início.