Dias mais risonhos

Dias mais risonhos

 

Dias mais risonhos

 

Vês tudo triste e escuro? Sentes a noite persistir?
Estás com medo, inseguro? Vem ver o Sol… está a surgir.
E não te deixes abater, por mais problemas que defrontes.
Também o sol irá nascer lá por detrás daqueles montes.

 

A tua vida é diferente da que havia nos teus sonhos?
Não desanimes, vai em frente, que virão dias mais risonhos.
Sonhos quebrados? Não desistas! Metas difíceis? Vai à luta!
É só preciso que persistas, de forma firme e resoluta.

 

Há uma nuvem que te ensombra e parece perseguir-te?
Deixa a luz vencer a sombra, pois precisas descobrir-te.
Será que a nuvem existe ou está só na tua vista?
Podes crer que não resiste a um olhar mais otimista.

 

A tua vida é diferente da que havia nos teus sonhos?
Não desanimes, vai em frente, que virão dias mais risonhos.
Sonhos quebrados? Não desistas! Metas difíceis? Vai à luta!
É só preciso que persistas, de forma firme e resoluta.

 

Tira os óculos escuros com que vês a realidade,
Porque onde só vês muros… está a felicidade.
Não fujas dos afetos, da amizade oferecida,
Mas descobre que projetos dão sentido à tua vida.

Não desanimes… Virão dias mais risonhos.

 

Mais uma canção participante no Festival da Canção Vida, organizado pelo Grupo de Jovens “A Tulha”.

Nos instrumentos estavam o Aníbal Seco, o André Marçal, o Pedro Martinho e o Pedro Rocha. A voz foi dos meus filhos Marta, David e Cecília e ainda da Eunice Almeida e do Diogo Margaça. Obrigado a todos por transformarem um poema meu numa canção tão bonita, especialmente ao David, autor da música.

Dias mais risonhos

Fotos cedidas pela organização

Nas imagens abaixo, podes aceder a outras canções com textos da minha autoria.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

Um pouco mais  Diz sim à vida    Serenata  moliceiro 2 

ou ir para o início.

Anúncios