Liberdade

Janela aberta 2

Liberdade

 

A poesia

É uma janela aberta à liberdade

Uma falha na segurança

Que aproveito com habilidade

A minha poesia

Fala com frequência

De prisão

De evasão

Poderia dizer-vos

Que nunca estive preso

Mas mentiria

As prisões

Na minha vida são bem reais

Assim como as minhas tentativas

De evasão

Sou prisioneiro

Das minhas limitações

Das minhas faltas de coragem

Das minhas omissões

Mas cada vez que me sinto preso

Penso logo em evadir-me

E aí entra a poesia

Entram os passes de magia

Sou mestre nas ilusões

Sou um malabarista

Um prestidigitador

A poesia permite-me

Um escape à realidade

Para mim a poesia

É uma janela aberta à liberdade

Nela não há mentiras

Mas há muito pouco de verdade.

Hoje, Dia Mundial da Poesia, deixo-vos com um poema que tem a poesia como tema. Escrito em 2005, ainda não tinha saído cá de casa. Hoje abri-lhe a janela e deixei-o voar.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

Poesia na cidade 2  Nós somos do mundo   Receitada pelo médico 

ou ir para o início.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: