Poesia na cidade

Falo-vos da cidade em que resido

Cidade em que há palavras como ruas

E cada qual que busca um sentido

As recolhe e as usa como suas

.

Alamedas são ritmos no ouvido

As rotundas, os prédios… frases cruas

Uma estrofe é um bairro construído

Trabalhando, o poeta usa gruas

.

Em cada largo ou esquina muda o tema

Muda vírgula, ponto ou reticências

Na busca de beleza e de alegria

.

Quem cá vive dá corpo ao poema

Quem chega entra logo nas cadências

No ritmo da cidade, da poesia.

João Alberto Roque

Hoje é o dia mundial da poesia e senti que deveria colocar um poema… a opção recaiu neste. Espero que gostem.

O resto da “história” fica para outra oportunidade. Para todos um bom dia cheio de poesia.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

Receitada pelo médico Prémio Literário Hernâni Cidade A Primavera As crianças

ou ir para o início.

Anúncios

6 Respostas

  1. Já há muito tempo que não colocava aqui um poema mas valeu a pena esperar! Muito bonito! Gostei bastante da “brincadeira” de palavras entre a rua e a poesia!

  2. Parabéns ao poeta!

  3. Parabéns pela forma linda de nos trazer este poema-cidade!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: