Poesia interrompida

labirinto

.

As palavras que escrevo

Traduzem mal o que sinto

Enredam-se nelas próprias

Um eterno labirinto…

.

És tu que lês o que escrevo

Que dás sentido ao caminho

És meu par nesse trajeto

Que eu não descubro sozinho

.

Mas fica-me a sensação

Ao começar a viagem

De que me queres dizer mais

E te falta a coragem…

.

E também eu tenho medo…

De não saber por onde ir

De me perder nas palavras

Ou mesmo de desistir

.

Vem completar o poema

Nunca deixes que a vida

Fique só pela metade,

Poesia interrompida…

João Alberto Roque
Imagem colhida aqui.

Poderás também gostar de ler estas Infantilidades:

      

ou ir para o início.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: